quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Ainda sem nome


Nesse plano transcendental de filosofias,
Meu útero resplandece como brasa.
É o show pirotécnico de alegria.
O meu metafísico ruge para vir ao mundo
No grávido conhecimento preso,
Buscando por libertação.
Externar, exaurir, haurir. Tudo quer sair de mim
E se fazer completo comigo.
Minha masturbação mental excita minha psique
Faz-me enveredar por caminhos infindos
À procura de perguntas sem respostas.
O meu tesão só cresce, na expectativa do avanço.
Mente reduzida é para fracos
Pensar, discernir, decidir, entender, buscar
Infinitivos para poucos, para fortes.
E me perder no universo das letras,
É me encontrar no meu esconderijo
Camuflado, não resoluto e belo.
Quão maravilhoso és, conhecimento!
Se estiveres em mim, isso já me basta.
Pisoteio a santa ignorância que me cerca,
Apesar de muitas vezes impregnar-se em mim.
Libero-a na minha menstruação diária
E volto para minha aventura de caça ao perdido,
(Re) descobrindo sempre um novo mundo
Redecorando e florescendo o meu jardim pandoresco
Mistérios mil o contêm, os mais dantescos também
Meu instinto animalesco não foi perdido
Não o escondo dentro de um Cavalo Troiano
A sistemática da evolução o tratou de preservar.
Mas eis que chega a Roda Viva e carrega tudo pra lá.
Afogo-me em versos
Querendo te salvar de um mundo voraz e enérgico
Para que a energia do cosmos reluza em ti.
Cuspo, vomito, escarro e excreto em minha grafia
Minhas conturbadas e generosas idéias
Tentando martelar o prego da sede do saber
Cravando o crivo que já me foi fincado.
Exalo o perfume do conhecimento
E respiro a cultura que se passa do meu lado.

“Se o conhecimento pode causar problemas,
não é através da ignorância que iremos solucioná-los”.
(ISAAC ASIMOV)


(Erlei Morbeck – 03/11/2009)

4 comentários:

Luma Marques disse...

Já disse, mas vou repetir:
Perfeito!!

BeLLinha Félix disse...

Adoreei esse texto!!! meu preferido!!! :) ***

Karla Thayse disse...

Olá Erlei, tudo bem?
Olha, obrigada pelo carinho e por visitar e seguir meu blog. Sinta-se à vontade pra passar por lá e comentar quando quiser,será muito bom te receber. Esse texto é maravihoso, você escreve muito bem. Sou irmã de Sarinha sim, vc é cologa dele é? Sucesso com o blog e tenha uma ótima semana.
Beijo

Anônimo disse...

Ei Erlei, como vai?
Invadindo esse seu espaço, encontro este... um texto misto de emoções do inicio ao fim. Como a respiração de um telespectador atento ao climax do filme: enche o peito, prende, sopra. Sopro forte.
Um exagero de sensações. Um maravilhoso exagero, "Camuflado, não resoluto e belo".

Escreva mais, que encontrando seus textos muita gente se econtra.